Rotas para o Futuro levanta o debate sobre SST no Sul de Minas

Projeto chega a Pouso Alegre e Santa Rita do Sapucaí. 

O Projeto Rotas para o Futuro, em sua segunda etapa de 2016, chega ao sul de Minas com o desafio de levar a inovação às indústrias por meio de um novo olhar para as questões relacionadas à saúde e segurança do trabalhador. Com palestras conduzidas pelo médico de trabalho e especialista industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Gustavo Nicolai, realizadas no dia 03/11 em Santa Rita do Sapucaí e Pouso Alegre, a FIEMG busca expandir a conscientização de que prevenir acidentes e doenças é investimento, e não custo para as empresas. “O Brasil está próximo de tornar-se o país com a maior quantidade de processos trabalhistas do mundo. O cerco se fecha e não é mais possível que se tenha acidentes de trabalho nas indústrias”, salientou Nicolai.

Segundo ele, o custo do país com a Justiça do Trabalho em 2015 chegou a R$ 17,8 bilhões, e gerou para os requerentes R$ 8,5 bilhões – aproximadamente metade deste valor. Outro número alarmante, em uma amostra de 9,4 mil laudos médicos avaliados em 2015, 53% demonstraram ausência de incapacidade para o trabalho, num gasto de R$ 23 bilhões para os cofres da Previdência. “É uma urgência modernizar a legislação trabalhista brasileira”, reforçou Nicolai.

Ele alertou que um auxílio acidentário concedido ao empregado dispõe a empresa a um ônus de tal dimensão que torna qualquer investimento em saúde e segurança mais vantajoso. “Antecipar e priorizar a prevenção é muito mais barato do que arcar com um acidente”, reiterou.

O presidente da FIEMG Regional Sul, Ary Novaes, destacou a importância do tema para as empresas de Pouso Alegre e região. “O Rotas para o Futuro é um projeto de sucesso pela relevância das questões que aborda”, frisou. “No sul de Minas temos feito várias palestras sobre saúde e segurança, alertando para a necessidade de se discutir o assunto e adotar estratégias dentro das indústrias”, completou.

Em Pouso Alegre, o evento foi realizado às 19h, na sede da FIEMG, a uma plateia composta principalmente por empresários do município, presidentes de sindicatos e profissionais que atuam na área. Para o diretor industrial da XCMG do Brasil, Ednilson Kimura, membro do Conselho Estratégico das Indústrias do Sul de Minas, entender a legislação brasileira é um grande desafio para qualquer multinacional que venha a se instalar no país. “É de fundamental importância o planejamento e a prevenção como forma também de reduzir custos para as empresas”, avaliou.

Santa Rita do Sapucaí – O presidente do Sindicato de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares do Vale da Eletrônica (Sindvel), Roberto Souza Pinto, destacou a inclusão de Santa Rita do Sapucaí no percurso do projeto Rotas para o Futuro como oportunidade para que os empresários da cidade entendam melhor como se adequar à legislação.

O projeto esteve na cidade no dia 03/11, às 14h, e além de profissionais da indústria, contou também com a participação de estudantes do Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), um dos mais importantes centros de pesquisa e ensino de engenharia do país. A cidade de Santa Rita do Sapucaí é conhecida como Vale da Eletrônica. Nela estão localizadas 130 empresas de alta tecnologia, nas áreas de eletroeletrônica, automação, telecomunicações, entre outras.

O Rotas para o Futuro percorre, nesta segunda etapa de 2016, 10 municípios mineiros – Capelinha, Santa Rita do Sapucaí, Pouso Alegre, Ipatinga, Governador Valadares, Sete Lagoas, Araguari, Ituiutaba, Itaúna e Nova Serrana. O tema Segurança e Saúde no Trabalho é estratégico para a FIEMG na busca do desenvolvimento e melhoria de competitividade para as indústrias mineiras.

Nos últimos anos, o SESI tem desenvolvido novos projetos para dar suporte ao empresário na gestão da saúde e segurança no trabalho e pulverizado ações, por meio de oito centros de referência espalhados pelos estados. A ideia é inovar na proposta de soluções. Em Minas, o ponto forte da entidade está na área de ergonomia.