Governo de Minas apoia Vale da Eletrônica com fundo de investimentos

O Governador Fernando Pimentel esteve em Santa Rita do Sapucaí esta semana, no dia 16 de maio, para lançar um fundo de investimentos a juros reduzidos para as empresas do Vale da Eletrônica.

O projeto é resultado de uma iniciativa do Sindicato das Indústrias de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares do Vale da Eletrônica – SINDVEL, para alavancar os negócios das indústrias e garantir a manutenção de sua competitividade no mercado.

O Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC), disponibilizado pela Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais – Codemig – e gerido pelo Bancoob Sicoob – vencedor do edital de licitação -, vai facilitar a obtenção de recursos pelas empresas do polo eletroeletrônico, mantendo-as capitalizadas. O Sicoob será o banco responsável por operacionalizar os recursos, cadastrando as empresas e realizando as transações financeiras.

A partir de agora os empresários de Santa Rita do Sapucaí poderão comercializar seus produtos com prazo estendido, sem perder o capital de giro. O fundo é um instrumento de crédito que, basicamente, antecipa às empresas pagamentos que seriam feitos pelos próprios clientes.

A vantagem em relação a um empréstimo tradicional é a cobrança de taxas mais baixas do que as praticadas no mercado. Em Santa Rita do Sapucaí, os prazos aos clientes podem ser de até 60 dias. O aporte inicial é de R$ 50 milhões, válidos por 36 meses.

Segundo o diretor-presidente da Codemig, Marco Antônio Castello Branco, a missão da companhia é fomentar o crescimento das empresas mineiras, gerando riquezas para todo o Estado. Por isso, a Companhia está lançando o FIDC.

“Os recursos aportados no FIDC serão empregados na aquisição de recebíveis emitidos por empresas ligadas ao APL Eletroeletrônico. Ao comprar esses tipos de crédito e, portanto, adiantar recursos de capital de giro dessas empresas, o fundo cobrará uma taxa de juros muito inferior ao que é normalmente estipulado pelos bancos comerciais para descontar duplicatas. E vai cobrar juros menores porque o Estado, através da Codemig, está assumindo o risco de inadimplência”, afirmou.

“Estamos anunciando hoje o primeiro desembolso de recursos da Codemig, desde sua criação em 2003, que vai estimular a economia mineira e, ao mesmo tempo, gerar retorno para a empresa, assegurando a sua sustentabilidade econômica, independentemente das receitas que recebem da exportação de nióbio”, disse Castello Branco.

Para o Governador Fernando Pimentel, “a economia gerada para as empresas beneficiadas, através de juros mais baixos, será equivalente à abertura de uma nova empresa por ano na cidade”. “A diferença de juros sobre os R$ 50 milhões que vamos aportar é como se estivéssemos gerando na economia de Santa Rita uma nova empresa de R$ 16 milhões por ano. Não se consegue dinheiro hoje a menos de 4% ao mês, a não ser que seja muito sadio financeiramente”, afirmou. Os juros do FIDC serão de 1,7%”, completou Pimentel.

De acordo ainda com o governador, “o objetivo, no curto prazo, é dobrar o aporte inicial de R$ 50 milhões. Com certeza, não será só isso. Vamos avançar ainda mais. Esse FIDC vai captar recursos. Confiamos na saúde financeira, no empreendedorismo, na dinâmica e na boa fé dos empresários de Santa Rita. Esse dinheiro volta para ser do empregado, replicado para gerar o ciclo virtuoso, que é o que desejamos para a economia brasileira”, reforçou.

Sobre o APL de Santa Rita Sapucaí, Fernando Pimentel disse que “ é um dos mais bem-sucedidos de Minas Gerais, é um dos mais antigos e dos mais consolidados do país. Temos um orgulho muito grande desse APL. Por isso, vamos reforçá-lo agora, com esses R$ 50 milhões”, afirmou o governador.

Roberto de Souza Pinto, presidente do Sindicato das Indústrias de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares do Vale da Eletrônica – SINDVEL considera que o projeto  aumenta a produtividade das indústrias locais. “Vamos oferecer os produtos para distribuidores com um prazo de 60 dias para pagamento, o que abre mercado para vendermos mais, já que podemos dar prazo para o comprador e não ficarmos sem capital de giro”, explica. “É um programa de governo que garante a permanência das indústrias em Santa Rita e possibilita a abertura e vinda de novas empresas, não só para o município, mas para toda Minas Gerais”, afirmou. 

SINDVEL entregou dois novos pleitos ao Governador Mineiro: o reconhecimento do município como Parque Tecnológico Aberto e a criação do APL de Eletromédicos, ou cluster da saúde.

O presidente do SINDVEL aproveitou a presença do Governador Pimentel para solicitar atenção a dois novos pleitos do APL de Eletroeletrônica: o reconhecimento de Santa Rita do Sapucaí como um parque tecnológico aberto, projeto já em tramitação na Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior –SECTES, desde o ano passado e que, segundo Roberto, “ atrairia investimentos estrangeiros e impulsionaria o fomento à indústria de tecnologia de Santa Rita do Sapucaí.

Outra solicitação foi a criação do Arranjo Produtivo Local (APL) de Eletromédicos, um cluster da saúde, uma vez que várias indústrias instaladas na cidade já se dedicam à produção de equipamentos eletromédicos, uma das três incubadoras é homologada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa-  para atuar com empresas do setor e as instituições de ensino já ministram cursos específicos para as áreas de tecnologia e saúde.

O lançamento do fundo de investimentos para o Vale da Eletrônica foi realizado no Inatel – Instituto Nacional de Telecomunicações e a mesa solene foi composta pelo Governador Fernando Pimentel, pelo Secretário de Estado de Governo, Odair Cunha, pelo Presidente da FIEMG, Olavo Machado Junior, pelo Deputado Federal Olavo Bilac Pinto Neto, pelo Prefeito Municipal Jefferson Gonçalves Mendes, pelo Presidente da Câmara Municipal, Vereador Miguel Caputo e pelo Presidente do SINDVEL, Roberto de Souza Pinto. Participaram da solenidade autoridades, lideranças e empresários do Vale da Eletrônica.