Desconhecimento sobre barreiras comerciais é obstáculo para desenvolvimento da indústria

O produto brasileiro enfrenta diversas barreiras em mercados estrangeiros. Só em 2017 o país deixou de exportar quase US$ 35 bilhões em função dos entraves. O setor privado tem um papel importante na identificação das barreiras, porém muitas empresas ainda não estão familiarizadas com o tema.

Para conscientizar os empresários e ajudá-los a conhecer melhor o assunto, a Confederação Nacional da Indústria (CNI), em parceria com a Rede Brasileira de Centros Internacionais de Negócios (Rede CIN) das federações estaduais das indústrias, organizou o Workshop Barreiras Comerciais aos Investimentos, circuito de palestras que já percorreu oito capitais brasileiras.  “As empresas não conheciam o que eram barreiras e pagavam para adequar seus produtos para a exportação. O que começamos a fazer, há quatro anos, foi criar uma estratégia de sensibilização, onde apresentamos os 14 entraves existentes, que podem ser tarifárias e não tarifárias. A expectativa é que com esse conhecimento elas possam trazer essas medidas para o governo para serem superadas”, fala Leandro Barcelos, analista de Políticas e Indústrias da Confederação Naional da Indústria – CNI.

A superação desses entraves depende de negociação entre os governos do Brasil e do país que impõe as restrições, com demandas vindas da indústria. Mas a fonte principal de dados vem das próprias empresas, que tem informar aos órgãos responsáveis das dificuldades comerciais encontradas.

Para facilitar as indústrias a repassarem essas informações, foi criado o portal Sistema Eletrônico de Monitoramento de Barreiras às Exportações – SEM Barreiras – um canal de diálogo com o Governo Federal, para tratar de medidas externas que dificultam o acesso de exportações brasileiras aos mercados internacionais. O sistema permite acompanhar as ações adotadas pelo Governo para eliminação dessas medidas ou redução dos seus efeitos.

De acordo com André Marcos Favero, coordenador geral de Negociações Extrarregionais do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, o comércio exterior é uma prioridade para o governo brasileiro, principalmente por ser fonte de geração de emprego e renda, e para que o Governo Federal faça a interlocução com os governos de outros países ele precisa estar munido de muita informação. “A capacitação serve para que as empresas aprendam a identificar essas barreiras. É uma agenda que está constantemente no dia a dia das indústrias muitas vezes não é percebida. E o sistema facilita a interlocução com o governo, já que os empresários não precisam ir a Brasília para fazer um registro”, fala o coordenador.

Favero alerta ainda que os países estão cada vez mais protecionistas, então, ao não procurar soluções para os entraves, ou simplesmente aceitar alguma regra comercial imposta pelo país importador, as empresas podem deixar de lucrar de 15 a 20% do produto exportado.

Conhecer sobre barreiras é a base de tudo

“O empresário tem que entender muito bem sobre as barreiras, como conhecimento básico mesmo, para que ele tenha êxito ao produzir, e não prejuízo”, fala Roberto Souza Pinto, presidente do Sindicato das Indústrias de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares do Vale da Eletrônica – SINDVEL.

Para o dirigente, entender sobre os entraves comerciais é a base para o planejamento estratégico, de vendas e de criação do produto. “Não adianta o produto ter toda a especificação técnica, padrão de qualidade, sendo que ao tentar vender para um país que não tem acordo bilateral com o Brasil, por exemplo, vai chegar com tarifa cheia e ser menos competitivo”, ele explica.

O líder sindical alerta que se o país não estiver preparado para vender, ele fica com dificuldades na competição globalizada, o que consequentemente pode acarretar na queda de geração de emprego e renda. “A capacitação sobre esse assunto é muito importante, devendo inclusive ser descentralizada e levada para o interior. É a base de tudo”, conclui.

roadshow para capacitação sobre Barreiras Comerciais e aos Investimentos é uma das ações do Projeto “Small Business without Barriers” que foi apresentado pela CNI no âmbito da iniciativa “Small Business Champions” da Organização Mundial do Comércio (OMC) e Câmara de Comércio Internacional (ICC).

O Projeto visa fornecer uma série de ferramentas para dar suporte às empresas brasileiras, especialmente as micro e pequenas, para melhor entender e, consequentemente, identificar e remover as barreiras comerciais no mercado internacional. Iniciado em julho, já passou por São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis, Porto Alegre, Goiânia, Salvador e Belo Horizonte. A próxima edição do workshop acontece dia 02/10, em Manaus.

Fonte: Portal de Notícias FIEMG