Área de biomedicina é nova aposta do APL

O Vale da Eletrônica de Santa Rita do Sapucaí, no Sul de Minas, está caminhando para também se tornar referência na fabricação de equipamentos e soluções eletroeletrônicas na área de biomedicina.

A ideia é aproveitar as 22 empresas especializadas em produtos e em soluções eletromédicas e uma incubadora com ambientes homologados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que já estão instaladas no município, para se tornar referência no setor.
“A área de equipamentos eletrônicos para a biomedicina no polo é crescente. Estamos trabalhando forte junto aos governos federal e estadual para trazer uma faculdade de medicina para a cidade. Aí sim vamos criar um verdadeiro cluster do setor, dentro do APL local”, detalhou o presidente do Sindicato das Indústrias de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares do Vale da Eletrônica (Sindvel), Roberto de Souza Pinto.
A faculdade poderia ser instalada, por exemplo, no Hospital Antônio Moreira da Costa, que se transformaria em uma espécie de hospital-escola, com curso de medicina, com base em um projeto da Faculdade de Administração e Informática (FAI).
Além disso, Santa Rita do Sapucaí já conta com o Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), que já oferece um curso de graduação em engenharia biomédica, além de uma pós-graduação na área e outra em engenharia química. A Escola Técnica de Eletrônica Francisco Moreira da Costa (ETE FMC) também tem um curso de formação técnica em equipamentos biomédicos.
“Com isso vamos criar uma estrutura que vai permitir a migração de indústrias maiores do setor para Santa Rita do Sapucaí. Acredito que em cerca de 15 anos a cidade poderá se tornar referência em produção de equipamentos biomédicos eletrônicos”, avaliou Souza Pinto.
Fonte: Diário do Comércio