Aplicativos ajudam a estreitar os laços com os clientes

A utilização de aplicativos de mensagens instantâneas, como Whatsapp, Telegram e Messenger, facilita cada vez mais o relacionamento entre empresas e clientes.

Organizações de diferentes portes e setores observam que eles agilizam a solução de dúvidas e busca por informações contribuindo, portanto, para o aumento do nível de satisfação. Dessa maneira, elas capacitam funcionários e, em alguns casos, até contratam profissionais especializados nesse tipo de atendimento.

O My Box, empresa mineira de self-storage (guarda-volumes), com sede no bairro Olhos D’Água, região do Barreiro, instituiu o uso da ferramenta no final de 2014. A gerente de Operações, Aleandra Rodrigues, explica que por meio de um aplicativo são enviadas aos clientes informações relacionadas a mudanças no horário de funcionamento e alterações no regulamento interno.

A clientela, por sua vez, comumente soluciona, somente através das mensagens, questões referentes a contratos e atrasos nos pagamentos. “Percebemos que a satisfação aumentou porque o processo está mais rápido. Outro aspecto positivo é a redução das despesas da empresa, pois muito do que antes era resolvido por telefone passou a ser feito pelo aplicativo, que não tem custo algum”, relata ela.

O Shopping Cidade, centro de compras localizado no hipercentro da capital mineira, admitiu em março do ano passado um colaborador responsável por atender às demandas enviadas para o aplicativo de mensagens do mall. Conforme a gerente de Marketing, Carolina Vaz, são recebidas, em média, 50 solicitações por dia. A maioria delas é sobre o cinema – estreias e filmes em cartaz – e horário de funcionamento em dias especiais.

Ela, contudo, também afirma que chegam mensagens de consumidores interessados em saber se alguma das lojas do shopping oferece determinado tipo de produto. “Nesses casos, o funcionário imediatamente passa nas lojas para saber se a mercadoria está disponível. Se estiver, enviamos uma foto e o valor para o cliente, que muitas vezes vem concluir a compra. Essa é uma maneira de apoiar o lojista e aumentar a taxa de conversão dele”, explica ela.

A construtora Caparaó, sediada no bairro Funcionários, na região Centro-Sul, adotou a estratégia em 2015. A empresa acredita que os aplicativos podem se transformar em outro importante canal de vendas. “Hoje é muito comum as pessoas trocarem mensagens instantâneas pelo celular durante o dia todo. O que queremos é aderir a essa rapidez”, avalia a arquiteta e atual responsável pelos atendimentos, Letícia Valle.

Ela revela que um dos planos da construtora para este ano é intensificar a utilização da plataforma. Para isso, é necessário ampliar a divulgação. “Vamos formar uma equipe para comercializar os imóveis por meio dessa ferramenta”, adianta. A ideia, a princípio, é capacitar os profissionais do quadro, mas, caso haja necessidade, outros serão contratados.

Tradicional – A utilização corporativa dos aplicativos também é feita por empresas instaladas em municípios menores. A pousada Vista da Serra, há 20 anos na tranquila Casa Branca, distrito de Brumadinho, Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), registrou aumento de 30% na quantidade de pedidos de orçamento desde que passou a atender os clientes também por um aplicativo de mensagens, há seis meses.

Segundo a gerente Luísa Sad, são recebidas, em média, 20 solicitações por semana. “Essas novas maneiras de se aproximar do cliente ajudam muito o negócio, porque atribuem mais praticidade e dinamicidade a ele. Hoje, as pessoas buscam soluções mais práticas, já que o dia a dia costuma ser corrido e, por isso, a maioria não consegue parar para fazer uma ligação”, argumenta ela.

Fonte: Diário do Comercio – Nádia de Assis