APL ELETROELETRÔNICO

APL ELETROELETRÔNICO DE SANTA RITA DO SAPUCAÍ
A peculiar estrutura produtiva do município de Santa Rita do Sapucaí fez dele referência nacional no desenvolvimento e produção de produtos eletroeletrônicos. O município de Santa Rita do Sapucaí concentra mais de uma centena de empresas de alta tecnologia, sendo também conhecido como o Vale da Eletrônica.

Existem duas explicações para justificar a grande concentração de empresas intensivas em tecnologia no sul de Minas Gerais. Primeiro: as riquezas oriundas das atividades agropecuárias (café e leite) que dominaram a economia regional até a década de 70. No decorrer desses anos, a economia local gerou o desenvolvimento de um conjunto de instituições de ensino e pesquisa, a exemplo da Escola Técnica de Eletrônica “Francisco Moreira da Costa” (ETE), o Instituto Nacional de Telecomunicações (INATEL) e o Centro de Ensino Superior em Gestão, Tecnologia e Educação (FAI). A ETE, fundada em 1959, oferece cursos de ensino médio e técnico de eletrônica. O INATEL possui cursos de graduação em engenharia de computação, engenharia de controle e automação, engenharia biomédica, engenharia de telecomunicações, tecnologia em gestão, tecnologia em automação, tecnologia em redes, pós-graduação lato sensu em automação industrial e automação elétrica, engenharia eletrônica e engenharia biomédica, Redes e Telecom e TV Digital e IPTV. O INATEL também oferece mestrado em telecomunicações. A FAI, criada em 1971, oferece cursos de graduação em administração, sistemas da informação e pedagogia, além de pós-graduação em diferentes cursos de gestão, educação, tecnologia e comércio exterior. A concentração de instituições de ensino foi um segundo motivo determinante da expansão da reorganização da região em direção as indústrias intensivas em tecnologia. As instituições ETE, FAI e INATEL em conjunto, criaram (e criam) um ambiente competitivo e cooperativo voltado à busca de novas tecnologias e oportunidades de negócios.

O elevado número de profissionais qualificados acabou se tornando um estímulo real ao surgimento de novas empresas em segmentos e nichos onde não existem praticamente barreiras ao surgimento de novas empresas, sendo necessário reduzido capital inicial, intenso processo de aprendizado e pequenas economias de escala. As primeiras empresas surgiram no início da década de 80, no bojo da crise da dívida externa. Com o desenvolvimento tecnológico e crescimento da demanda por eletrônicos, novas empresas de pequeno porte foram sendo constituídas e, já no início do anos 90, um conjunto significativo de indústrias eletroeletrônicas já participava da economia local. Paralelamente, várias instituições foram criadas para organizar e dar apoio às pequenas empresas que surgiram: incubadoras de empresas e diversas associações empresariais.

Caracterização do Arranjo Produtivo

O município de Santa Rita do Sapucaí localiza-se na região sul de Minas Gerais. No período 1991-2000, a taxa média de crescimento anual da população foi de 2,01 %, passando de 26.317, em 1991, para 31.264, em 2000. De 2000 a 2010, a população cresceu a uma taxa média anual de 1,90%, passando de 31.264 para 37.754. A taxa de urbanização aumentou de 76%, em 1991, para 82%, em 2000 e cresceu para 85,62% em 2010. Nesse mesmo período, a mortalidade infantil (mortalidade de crianças com menos de um ano de idade) do município diminuiu 25%, passando de 29 por mil nascidos vivos, em 1991, para 22 em 2000 e para 15,6 em 2010. A esperança de vida ao nascer cresceu de 68 anos, em 1991, para 72 anos, em 2000 e aumentou para 74 anos em 2010.

A renda per capita média do município cresceu de R$ 219, em 1999, para R$ 315, em 2000 e R$738,40 em 2010. O crescimento nas últimas duas décadas foi de 79,55%. Em 1991, Santa Rita do Sapucaí já podia ser considerado um município com um bom nível de renda no cenário microregional, mineiro e mesmo nacional, dado que sua renda per capita era 13% acima da média estadual e apenas 5% inferior à nacional. Em 2000, a posição do município é ainda melhor: a renda per capita é 14% acima da estadual e 6% acima da nacional. Esse desempenho consolidou a liderança regional de Santa Rita do Sapucaí com um PIB municipal que correspondia a 32% do PIB da microregional.

Entre os anos de 2000 e 2010, o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDMH) passou de 0,654 (2000) para 0,721 (2010), uma taxa de crescimento correspondente a 10,24%. A esfera que mais cresceu nesse período em termos absolutos foi a Educação (com crescimento de 0,115), seguida por Longevidade e por Renda. O IDHM de 0,721 de Santa Rita do Sapucaí coloca o município entre aqueles considerados de Alto Desenvolvimento Humano (IDHM entre 0,700 e 0,799). Em relação aos outros municípios do Estado de Minas Gerais (853 no total), Santa Rita ocupa a 129ª posição.

O Arranjo Produtivo Eletroeletrônico (APL) de Santa Rita do Sapucaí possui cerca de 153 empresas. Dessas, 44% têm faturamento inferior a R$ 200 mil por ano, 90% são consideradas micro empresas e 8% são empresas de médio porte.

O faturamento anual é de R$ 3.2 bilhões de reais/ano, gerando cerca de 14.700 empregos. As empresas investem, em média, 9% do faturamento em Pesquisa e Desenvolvimento, percentual maior que o verificado para as maiores empresas de informática e telecomunicações. As principais linhas de produtos desenvolvidos e produzidos no Arranjo Produtivo de Santa Rita do Sapucaí são telecomunicações, informática, segurança, automação industrial, equipamentos industriais e prestação de serviços.

De modo geral, as empresas destinam seus produtos, preferencialmente, ao mercado interno. Cerca de 34% delas vendem regularmente para o mercado internacional, sendo os principais clientes os países do MERCOSUL, que correspondem a 32% do volume exportado. Quanto aos mercados externos potenciais, a América do Sul é vista como o mais promissor, em seguida a América Central e Caribe.

Com o apoio de consórcios e projetos integrados de apoio à exportação, a partir de 2002 o Vale da Eletrônica iniciou um programa intensivo de internacionalização e aumento da competitividade de suas empresas. Em 2011, o volume de exportações atingiu 12 milhões de dólares. Em 2015, o valor aumentou para 47 milhões de dólares.

O cluster eletroeletrônico de Santa Rita do Sapucaí compõe o já consolidado APL de eletroeletrônicos da cidade. Ser um APL significa que o município possui toda a cadeia operacional, desde a pesquisa, o desenvolvimento até a fabricação do produto. Além disso, um dos grandes diferenciais é que as empresas trabalham em sinergia.

Atualmente, Santa Rita do Sapucaí concentra 29% da mão de obra na indústria eletrônica de Minas Gerais, sendo a maior do estado e a terceira maior do setor no Brasil.

Um dos motivos pelos quais o APL de eletroeletrônico alcançou sucesso é a tríplice hélice. A tríplice hélice é fundamentada nas relações verticais entre academia, governo e indústria. Essa união proporcionou a estruturação de novos modelos organizacionais que privilegiam geração de conhecimento, interação e a criatividade. Confira abaixo os dados de cada uma dessas três vertentes e entenda melhor como a união delas contribuiu para o sucesso do Vale da Eletrônica.

Indústria

  • 153 indústrias de base tecnológica
  • 14.7000 postos de trabalho no setor (diretos e indiretos)
  • 14.500 produtos no segmento
  • 31 start-ups em fase de incubação / 03 Incubadoras
  • 01 Condomínio Municipal de Empresas
  • Mão de obra qualificada
  • Instituições de ensino / 60 Laboratórios de P&D
  • Incentivos governamentais / Centros de Pesquisa
  • Desenvolvimento de projetos de base tecnológica
  • Fabricação de produtos / partes e peças

Academia

  • 11 cursos técnicos
  • 10 cursos de graduação
  • 22 cursos de pós-graduação
  • 01 curso de mestrado

Poder Público

  • Incentivos municipais (aluguel de galpões/terrenos)
  • Incentivos estaduais: tratamento tributário diferenciado (0% ICMS)
  • Incentivos federais: PPB – Lei da Informática

O município agora tenta emplacar um cluster voltado para o setor da saúde para funcionar em paralelo com o APL de eletromédicos. Confira os dados:

Indústria

  • 22 indústrias especializadas em produtos e em soluções eletromédicas
  • Incubadora de empresas com ambientes homologados plea ANVISA
  • Profisionais qualificados com foco na pesquisa, inovação e desenvolvimento

Academia

  • Cursos técnicos em Enfermagem e Equipamentos Biomédicos
  • Graduação em Sistemas de Informação, Engenharia Bomédica, Administração e Pedagogia
  • Pós-graduação em Engenharia Biomédica, Engenharia Clínica, Psicopedagogia Institucional e Clínica, Educação Especial e Inclusiva e Docência do Ensino Superior.

Hospital

  • Hospital Antônio Moreira da Costa, Hospital Centenário com 70 leitos/Hospital Escola.
  • Implantação Novo Hospital: 140 leitos para casos de média e alta complexidade.